continuação

Do consórcio de Fellippe Marques da Silva com D. Inácia Maria Freire, houve

7 filhos, que seguem:

3–1 Dr. Joaquim Gomes da Silva Belfort, nascido em S.Luiz em 1777.Bacharel formado na  Faculdade de Leis, pela Universidade de Coimbra.(Leitura de Bacharéis, maço 67, letra  J., doc. N. 6, Arq. Da Torre do Tombo). Foi Desembargador,Cavaleiro fidalgo da Casa Real, e Cavaleiro da ordem de Santiago da Espada. Obteve brasão de armas a 14 de fevereiro de 1802, registado no cartório da nobreza.( Liv. VI, fls.191), a saber: Um escudo partido em pala; na primeira, as armas dos Souzas do Prado e na segunda as dos Gomes.

      Filhos:

      4-1 Francisco Joaquim  Gomes da Silva Belfort, nascido em Lisboa, Portugal. Fidalgo   

            da Cassa Real por Alvará de 23 de março de 18830, conforme certidão abaixo transcrita:      

“ Eu El Rey Faço saber a vós D.Álvaro Antonio de Noronha Abranches Castello Branco, do meu Conselho, Marquez de Torres Novas Comendador da (401) / Ordem de Nosso Senhor Jesus Christo, Grão Cruz de Nossa Senhora da Conceiçam e da de Torre e Espada, Gentil-Homem da Minha Real Câmara,m Presidente da Real Junta do Comercio, e Meu Mordomo Mor. Que Hey por bem e Me Praz fazer Mercê a Francisco Joaquim Gomes de Souza e Silva Belfort, natural desta cidade, filho legitimo do Desembargador Joaquim Gomes da Silva Belfort Fidalgo de Minha Casa, de o tomar no mesmo Foro de Fidalgo della com 1.600 reis de Moradia por mez de Fidalgo Cavalleiro, e hum alqueire de cevada por dia, paga segundo Ordenança, e he o foro e Moradia que pelo dito Pai lhe pertence. Lisboa 23 de março de 1830. – Rey. – Passado por Portaria do Illustrissimo e Excellentissimo Marquez Mordomo-mór de 13 de  Março de 1830”.

3-2 Dr. Antonio Gomes da Silva Belfort, nascido em S. Luiz.Bacharel formado na Faculdade de Cânones.Em 6 de abril de 1804, foi-lhe passada a carta de brasão de armas, cujo original é reproduzido neste trabalho.Casou-se em São Luiz do Maranhão com D. Iria Joana Moreira, e teve:

         4-1 Antonio Gomes da Silva Belfort, nascido em S.Luiz.Casou-se com D.Maria Inez Mascarenhas Peçanha, e teve:

               5-1 Antonio Gomes da Silva Belfort, nascido em S.Luiz a 5 de maio de 1847.       

(LIV.       N.27 de 1841-48, pg.203).

         4-2 D.Inácia Maria Belfort, nascida em Portugal. Casou-se com Felipe Gomes da Silva Belfort (filho do Brigadeiro Sebastião Gomes da Silva Belfort e de D;Ana Rita Henriques), falecido a 23-8-1840, com descendência adiante mencionada. Casou-se em 2ªs núpcias, em S.Luiz do Maranhão, a 3-3-1841, com Manoel Antonio Gomes Guimarães, nat. da freg. De S.Miguel do Monte, arcebispado de Braga, Portugal, filho de Jacinto G. De Macedo e de D. Maria Monteiro. Faleceu a 1-1-1846, com 29 anos.. 

                    3-3 Brigadeiro Sebastião Gomes da Silva Belfort, nascido em São Luiz do Maranhão e batisado no Itapicurú a 3-8-1781 (Livro freg.da Sé, fls.246). Foi lhe concedida, a 6-4-1804, a Carta de Brasão de armas adiante transcrita e, a 23 de Agosto de 1816, o alvará de Fidalgo Cavaleiro da Casa Real Portuguesa.Cavaleiro da Ordem de Cristo por Alvará de 6-2-1818 (Registro Geral das Mercês, Livro 44, fls. 14). Coronel efetivo do Regimento de Milícias da Ribeira do Itapicurú no Maranhão, reformado no posto de Brigadeiro por Mercê de 31-1-1818 e Carta Patente de 19-2-1818. ( Reg. Geral das Mercês, col.137, Liv. N.44, fls.46 – Arquivo Nacional, Rio).

                                            Faleceu a 1 de Agosto de 1825, vitima do naufrágio do navio “Providência” procedente do Rio de janeiro História da Independência da prov. Do Maranhão, 1811-28, pelo Dr. Luiz Antonio Vieira da Silva, pgs. 340 e 341. Casou-se em S. Luiz do Maranhão, com D. Ana Henriques, conforme se verifica da certidão seguinte:  

                     

               Brasão de Armas do Brigadeiro Sebastião Gomes da Silva Belfort

           “Certifico que revendo um dos livros findos de assentos de Casamentos da freguesia de N.S. da Victoria, Sé Cathedral, nelle a folha 173 encontrei o seguinte: Aos dez dias do mez de fevereiro do anno de mil oitocentos e seis, nesta Igreja Cathedral, freguesia de Nossa Senhora da Victoria do Maranhão; depois de feitas as denunciações da mesma, na de Nossa Senhora da Conceição desta cidade e na de N; Senhora do Rosário de Itapicurú, havendo o contrahente prestado a caução de estylo sobre os banhos que devia apresentar da (402) /  da Cidade de Lisboa e de Coimbra, onde residiu, sem se descobrir empedimento outro canônico senão o de consangüinidade em segundo grão por linha transversal, do que se acham dispensados os contrahentes por sentença Apostólica, tendo já satisfeitos ambas as penitencias saudáveis que lhes foram imposta, como tudo me constou do Mandato de Casamento, que me foi apresentado, observada a forma do sagrado Concilio Tridentino, e constituições por onde se rege este Bispado, com licença minha de assistir, em prezença do Revmo.Padre Antonio Jozé Antunes de Carvalho e Santos e das testemunhas abaixo nomeadas e assignadas de sua livre vontade e mutuo consentimento se receberão por marido e mulher com palavras de presente Sebastião Gomes da Silva e Belfort,filho legitimo de Felippe Marques da Silva Belfort, falecido e de Dona Ignacia Maria Freire, com Dona Anna Rita Henriques, filha legítima do Sargento-Mór Joaquim José Henriques, já falecido de Dona Izabel Maria Freire, hoje casada com o Tenente-Coronel de Milícias José Marcelino Nunes; os contrahentes foram nascidos e batisados na freguesia de Nossa Senhora da Ribeira do Itapicurú deste Bispado nas fazendas de seus Paes, e são parochianos desta sobredita freguesia de Nossa Senhora da Victoria da Cathedral. Receberam logo as bençõens nupciaes na missa do mesmo dia sendo a tudo presentes por testemunhas o illustrissimo Brigadeiro Anacleto Henriques Franco, chefe do Regimento de Infantaria de linha da guarnição desta Cidade, e o referido Tenente-Coronel de Milícias José Marcelino Nunes, alem de outras muitas pessoas os quaes aqui comigo assignão. José Beckman Caldas.Na margem. Já foi passada uma certidão a requerimento da mulher a 11 de novembro de 1825.Nada mais continha no referido assentamento que foi fielmente copiado, ita in fide sacerdotis. Cúria Metropolitana de São Luiz do Maranhão aos 22 de agosto de 1939. C.J.M; Lemercier, Chanceler do Arcebispado.”

                      É a seguinte a carta de brasão de armas concedida ao brigadeiro Sebastião Gomes da Silva Belfort: 

           “Dom Joam por Graça de Deos Príncipe Regente de Portugal e dos Algarves daquem e dalem mar em África,  Senhor de Guiné e da Conquista Navegaçam e Commercio da Ethiopia Arábia Pérsia da Índia etc. –  Faço saber aos que esta Minha Carta de Brazam de Armas de Nobreza e Fidalguiia virem que Sebastiam Gomes da Silva Belfort, natural desta Cidade de Sam Luiz do Maranham me fez Petiçam dizendo que pela Sentença de Justificaçam de sua Nobreza a ella junta proferida e assignada pelo Meu Dezembargador Corregedor do Cível da Corte e Caza da Supplicaçam o Doutor Luiz Freire da Fonseca Coutinho subscripta por Matheus Gonsalves da Costa Escrivam do mesmo Juizo se mostrava qyue elle é filho legitimo de Felippe Marques da Silva, Cavaleiro Fidalgo de Minha Caza Real sendo este irmão do Coronel de Milícias José Antonio Gomes de Souza a quem se passou o Brazam de Armas aos vinte e oito de Setembro de mil setecentos e noventa e oito e de sua mulher Dona Ignacia Maria Freire Beldfort da Silva. Neto  Paterno do Sargento-Mór Antonio Gomes de Souza e de sua mulher Donna Mariana das Neves, Bule, digo Bisneto de Felippe  Marques da Silva, Almoxarife que foi da Real Fazenda na dita Cidade do Maranham e de sua mulher Donna  Rosa Maria de Jesus. Os quaes seos  Pais e Avós foram pessoas Nobres das famílias de Souzas e Gomes que neste Reino sam Fidalgos de Linhagem Cotta de Armas e conhecido e como taes se tratam com Cavallos, Creados, e toda a mais ostentaçam própria da Nobreza sem que em tempo algum commetessem crimes de Leza Magestade e de Divina ou Humana pelo que me pedia elle mesmo Supplicante por Mercê que para Memória de seos Progenitores se nam perder a clareza de sua Antiga Nobreza lhe mandasse dar Minha Carta de Brazam de Armas das ditas Famílias para dellas também usar na forma que as trouxeram e foram concedidas aos ditos progenitores. E vista por mim a ita sua Petiuçam e Sentença e constar de tudo o referido e que a elle como descendente das mencionadas Famílias lhe pertence usar e gozar de suas Armas sendo o meu Regimento e Ordenaçam  da armaria  lhe mandei pas. (403) / sar esta Minha Carta de Brazam dellas na forma que aqui vam brazonadas devizadas e illuminadas com as cores e metaes segundo se acham registadas no Livro de Armas da nobreza e Fidalguia destes Meus Reinos que tem ortugal meu Principal Rey de Armas a saber: Hum escudo partido em palla.Na Primeira as Armas dos Souzas que sam esquarteladas; no primeiro quartel as cinco quinas de Portugal, no segundo  também em campo de prata hum Leão sanguinho e assim os contrários. Na segunda palla as Armas dos Gomes que sam em Campo azul hum Pellicano de ouro com trez filhos bebendo o sangue do mesmo que esta ferindo o peito. Elmo de prata aberto guarnecido de ouro . Paquife dos metaes e cores das Armas.Timbre dos Souzas que há hum Leão do Escudo e por differença huma banda de ouro. O qual escudo de Armas poderá trazer e suzar tam somente o dito Sebastiam Gomes da Silva Belfort assim como as trouxeram e uzaram os ditos Nobres e antigos Fidalgos seus Antepasdsados e como ellas poderá  entrar em Batalhas, Campos Reptos Escaramuças e exercitar todos os mais actos lícitos da Guerra e da Paz. E Assim mesmo poderá trazer em seus Firmais Anéis, Sinetes, e Divizas pollas em suas Cazas, Capellas e mais Edifícios e deixallas sobre a sua própria sepultura e finalmente se poderá servir honrar, gozar, aproveitar dellas em todo e por todo como a sua Nobreza convem Com o que Quero e me Praz que haja elle todas as Honras Privilégios Liberdades, Graças, Mercez, Izençõens e Franquezas que hão e devem haver os Fidalgos e Nobres da  antiga Linhagem e como sempre de todos  uzaram e gozaram s ditos seus Antepassados pelo que Mando aos Meus Dezembargadores, Corregedores, Provedores, Ouvidores, Juizes e mais Justiças de Meus Reinos e em especial aos Meus Reys de Armas Arautos e Passavantes e a quaesquer outros Officiaes  e pessoas a quem esta Minha Carta for mostrada e o conhecimento della pertencer que em tudo lha cumpram e guardem e façam inteiramente cumprir e guardar como nela se contem sem duvida nem embargo algum que em, ella lhe seja posto porque assim he Minha Mercê.O Príncipe Regente Nosso Senhor mandou por Manoel José Gonsalves, Escudeiro Cavalleiro de Sua Caza Real e seu Rey de Armas Portugal, Francisco de Paula Campos Escrivam da Nobreza destes Reinos e suas Conquistas a fez em Lisboa aos quinze dias do mez de Abril do Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo e mil oitocentos e quatro.  – Eu Francisco de Paula Campos a fiz e subscrevi. – Rey de Armas Portugal – Registado no Livro septimo do Registo dos Brazoens da Armas da Nobreza e Fidalguia destes Reinos e suas Conquistas a folhas setenta e cinco. Lisboa quinze de Abril de mil oitocentos e quatro. – Francisco de Paula Campos

Sua esposa e prima faleceu a 27-1-1835. Transcrevemos a inscrição do seu óbito, pela qual se verifica que o brigadeiro faleceu em data anterior á da sua consorte. 

 “Assento de óbito extrahido do Livro 10 da Sé, folhas 223 verso. – aos vinte e sette dias do mez de Janeiro de mil oitocentos e trinta e cinco annos nesta Cidade do Maranhão Freguesia de Nossa Senhora da Victoria da Cathedral, faleceu de repente de apoplexia Dona Anna Ritta Henriques natural desta  Província viuva do finado Commendador Coronel Sebastião Marques da Silva Belfort, digo Sebastião Gomes da Silva Belfort, de idade de cincoenta annos pouco mais ou menos, foi sepultada no Cemeterio da Caza de Misericordia; do que para constar fiz este assento que assignei. O Cura Francisco José Pereira, Este assento foi por mim fielmente copiado do original. São Luiz do Maranhão, 20 de fevereiro de 1941. Cônego J.M.Lemercier, Chanceler do Arcebispado”.

                                               Filhos:

                                 4-1 Dr. José Cândido Gomes da Silva Belfort, nascido em São Luiz do

                                        Maranhão. Casou-se com D.Carlota Augusta Figueiredo Belfort,

                                        filha do alferes José Joaquim de Figueiredo; teve:  (404) /

                                        5-1 D.Francisca, nascida em S.Luiz do Maranhão a 1 de  agosto de

                                              1841, conforme se verifica do assento seguinte:

            “Extrahido do Livro I de Baptismos da Sé. – Aos vinte e cinco dias do mez de Janeiro de mil oitocentos e quarenta e dois annos nesta Cidade do Maranhão Freguesia de N.S. da Victoria e Igreja Cathedral, o Reverendo Antonio  José Antunes de Carvalho Santos, de licença minha baptisou e puz os Santos Óleos a Francisca, nascida no primeiro dia do mez de Agosto do anno próximo passado, filha legitima do doutor José Candido Gomes da Silva Belfort e Dona Carlota augusta de Figueiredo Belfort, neta paterna do Brigadeiro Sebastião Gomes da Silva Belfort e de Dona Anna Maria Joaquina da Silva e Materna do Alferes José Joaquim de Figueiredo, já falecido e de sua mulher Dona Francisca Maria de Figueiredo, e foram padrinhos o Desembargador Joaquim Antonio Vieira Belfort por seu procurado Capitão Joaquim José Pereira de Burgos e Dona Olímpia Amália de Macedo Belfort por sua procuradora Dona Maria Carolina Gomes de Macedo; do que fiz este assento e assinei. O Cura Francisco José Pereira.Nada mais se continha n o assento que  fielmente copiei do original eu o Cônego José Maria Lemercier, Secretario Geral do Arcebispado.São Luiz do Maranhão 22 de Janeiro de 1942. C.J.M.Lemercier.

                            Casou-se em São Luiz do Maranhão em 1860, com Guilherme Vieira Lima.

                                        5-2 Alfredo Gomes da Silva Belfort, nascido em São Luiz do Maranhão,    

                                               batisado a 3 de agosto de 1845.

                                  4-2 D.Raquel Sebastiana Gomes da Silva Belfort, nascida no Rio de janeiro, freguezia de S.José. Casou-se em São Luiz do Maranhão a 26-9-1835 com o capitão João da Silva Campos, conforme se verifica da certidão abaixo transcrita:

“Extrahido do Livro VIII de Assentos de Cazamentos da Sé Cathedral, fls.166. – Aos vinte e seis dias do mez de Setembro de mil oitocentos e trinta e cinco annos nesta Cidade do Maranhão e Freguesia de N.S. da Victoria, Sé Cathedral, no Oratório privado das cazas de residência do Doutor Felippe Gomes da Silva Belfort, em virtude de hum Mandato assignado pelo Revmo.Vigário Geral deste Bispado José Constantino Gomes de Souza os quaes ficam em meu poder observada a forma do Sagrado concilio Tridentino e Constituição porque se rege este Bispado sem se descobrir impedimento algum em presença do Reverendo Antonio José Antunes de Carvalho e Santos de licença minha e das testemunhas ao diante nomeadas de suas livres vontade e mutuo consentimento com palavras de presente receberão-se por marido e mulher João da Silva Campos , natural da freguesia de São João do Campos do Arcebispado de Braga, viúvo de Ritta Cândida Gomes da Silva com Dona Rachel Sebastiana Gomes da Silva Belfort, natural desta freguesia de São José da Cidade do Rio de janeiro, filho natural de Dona Anna Maria, ambos parochianos deste freguesia receberão logo as bençoens Nupciaes sendo a tudo presentes por testemunhas o Tenentee-Coronel Manoel Gomes da Silva Belfort, o Doutor Felippe Gomes da Silva Belfort. Dona Clementina Roza Gomes de Macedo e Dona Ignacia Gomes da Silva Befort, do que fez este assento que assignei. O Cura Francisco José Pereira.Nada mais se continha no assento que fielmente copiei do origina eu o Cônego José Maria Lemercier, Secretario Geral do Arcebispado. São Luiz do Maranhão 16 de Janeiro de 1942. Cônego J.M. Lemercier.”

                                  Filhos:

                                       5-1 Sebastião, nascido em são Luiz em 1837. Falecido em S.Luiz a 21-3-1851, solteiro

                                       5-2 João, nascido em São Luiz a 4 de Novembro de 1840.

                                       5-3 D.Anna, nascida em São Luiz.Casou-se com....... (405) / teve:

                                              6-1 João

                                              6-2 D.Raimunda

                                              6-3 D.Glória

                                        5-4 Dr. Diogo Leão Belfort de Campos, conhecido por “Capitão Belfort”.      Bacharel em Direito pela Faculdade de direito de Recife. Casou-se com        D. Cândida Aurora de Azevedo; Teve:

                                               6-1 Artur

6-2 D.Filomena

                             6-3 D. Raquel, casada com o Dr. Bernardo Fortunato dos Snatos,

                                    Engenheiro e Bacharel em Direito.Teve:

7-1 D. Luicila

7-2 D.Bankisia

7-3 Diogo

7-4 D.Eloisa

7-5 Hamilton

7-6 Anibal

7-7 Roberval

7-8 D.Maria Filomena

7-9 Manoel.

                             6-4 Diogo Belfort de Campos

                                          O Dr. Leão Belfort de Campos (Capitão Belfort) acima mencionado (5-4) ,

                                                 casou-se em 2ªs. núpcias com D. Rosa e teve:

                                               6-5 D.Tomázia

                                       5-5 Antonio Gomes Belfort de Campos. Fez seus estudos na Faculdade de

                                              Medicina do Rio de janeiro, não tento entretanto concluído o curso.  

                                              Casou-se com.... ; Teve:

                                               6-1 Diogo

                                               6-2 D.Raimunda

                                4-3 Dr. Filippe Gomes da Silva Belfort, comendador Fidalgo Cavaleiro da Casa

                                       Real por Mercê de 20-11-1816. Casou-se com D. Inácia Maria Freire, filha de

                                       Antonio Gomes da Silva Belfort e D.Iria Joana Moreira. Faleceu a 23-8-1840

                                       com 33 anos. Teve:

                                       5-1 Coronel Sebastião Gomes da Silva Belfort, nascido em São Luiz do

                                              Maranhão a 2 de dezembro de 1829. Faleceu a 1º de novembro de 1911,

                                              no Rio de Janeiro, casado; s.d.

                                        5-2 D. Maria da Gloria, nascida em São Luiz. Faleceu a 7-7-1839, com 2 anos e 4 meses.

 

                     

 

1